quarta-feira, 6 de julho de 2011

Dois meninos lindos

Enzo, meu lindo, quando sua mãe me mandou essa foto sua, eu estava depressivo.

Parece que ela estava adivinhando, pois quando a vi, minha alma se encheu de festa e o que estava sombrio, virou luz.

O que estava feio ficou bonito.

Onde havia ódio, habitou o amor.

E aí abri um sorriso gostoso, saí da concha, peguei um rastelo e fui limpar o bosque que estava carecendo de uma boa sacudida.

Enquanto recolhia as folhas secas do solo, lembrei de uma foto antiga de seu pai. Ele vestido de Limãozinho, num desfile da escola pelas ruas de Nazaré. Fiquei doido, larguei o rastelo e fui procurá-la.

Não é que a encontrei. Saca só que lindo:

Você e Dida são carne da minha carne, sangue do meu sangue, alma de minha alma. Amo-os demais!

3 comentários:

  1. Se os filhos são versões melhoradas da gente, imagina o tanto de alegria que esse "trocinho lindo" não vai trazer...

    ResponderExcluir