segunda-feira, 11 de julho de 2011

Fúria das Pipocas

Enzo, meu menino lindo, essa história foi escrita e enviada por sua tia Mile. Dê uma sacada agora no que seu pai, ela e seu tio Beto aprontaram no Center Lapa...
Mais um registro para o Livro O presente de Enzo:

Certo dia, eu Beto (meu marido) e Daniel resolvemos ir ao cinema. Morávamos nós três no Barbalho e fomos para o cinema do Shopping Center Lapa. O filme em cartaz eu nem me lembro, mas o episódio vivenciado lá, ficou marcado e jamais será esquecido.

Lá no Cine Center Lapa o ingresso acompanhava um enorme saco de pipocas. Compramos nossos ingressos, pegamos os vales-pipocas e trocamos pelas benditas pipocas.

Acomodamo-nos em nossas cadeiras e quando as luzes foram apagadas, uma criatura que havia sentado nos fundos começou a jogar pipocas na gente. Beto e Dani passaram o filme todo tentando descobrir o F.D.P. que estava conseguindo atrapalhar o nosso “cine pipoca” e fez com que a gente nem conseguisse ver o diabo do filme.

Beto já estava injuriado, parou de comer as pipocas, amassando o saco quase cheio que estava nas mãos. O filme todo passando e as pipocas voadoras nos atrapalhando. 

Finalmente o filme terminou, as luzes foram acesas e os nossos olhos varreram o fundo do cinema. O saco de pipocas nas mãos de Beto parecia mais uma pedra. Dani e Beto só queriam descobrir quem havia sido o “maledito” que atrapalhou nosso filme.

Para nossa sorte ou azar, uma Criatura de Deus sinalizou para gente quem foi El Atirador de Pipocas.

Naquele momento os olhos de Dani e de Beto eram vingança!

Beto falou com Dani:- Vamos lá,cunhando, dá uma lição nesse cara!

Detalhe, o cara era enorme... Mas mesmo assim Beto pensou alto: “ele é forte mais somos dois!”

Apressamos os nossos passos e nos aproximamos o máximo que podíamos, eu fiquei morrendo de medo, fiquei só imaginando a cena: Pipoca para todos os lados, Beto e Dani se embolando com o cara, vidraçaria de loja quebrando, aquela confusão.

De repente Beto aperta o saco de pipocas o transformando numa arma, num pedregulho, no meio da escada rolante, o saco é disparado contra as costas do fortão. Foi pipoca e sal para todos os lados, a cabeça do cara ficou cheia de pipocas e branca de sal. O cara se virou, tipo câmara lenta... A escada rolante chegou ao fim, o cara andou olhando para trás e Beto começou a falar:

- Jogue pipoca agora, seu otário!

Quando Beto olhou para trás procurando Daniel para não ter que enfrentar o grandalhão sozinho, Dani já tinha corrido quase 500 metros e estava se acabando do rir. 

Ele dizia:

- Vai, sacana!

Beto não teve como cair na gargalhada também e ainda continuou a peitar o cara dizendo:

- Jogue pipoca agora, se você tem coragem!

Ainda bem que o cara não quis mais confusão, porque caso contrário, Beto ia ter que se virar sozinho. Daniel não conseguia parar de rir e voltamos para casa às gargalhadas e Beto ia abusando Daniel.

- Mas Cunhado, você ia me deixar sozinho?! 


A noite terminou com risos e suspiros.

2 comentários:

  1. nem parece que foi eu quem escreveu, li tudo e chorei de rir...

    ResponderExcluir
  2. Essa sacanagem é a cara de Daniel. rsrsrsrs

    ResponderExcluir